Seja um líder da mudança e não apenas um chefe

Atualizado: 18 de nov. de 2020


Foto: Unsplash

Ser chefe não é sinônimo de ser líder. Na verdade, o “chefe” por si só já é uma palavra que carrega um sentido pesado, ruim, algo que nem de longe faça com que as pessoas se sintam confortáveis para ter ideias inovadoras e apresentar feedbacks. Pode ser por conta dos inúmeros profissionais que não estavam preparados para tal responsabilidade e, que, quando chefes, acreditaram que só precisariam delegar. Um erro, um grande erro.

Para falar a verdade, a figura do chefe como a conhecemos ficou no passado; ou pelo menos deveria ter ficado. Há alguns anos, era comum ter nas empresas uma figura que representasse para seus funcionários o poder, algo como um Rei. Além do mais, as organizações eram completamente hierárquicas e o poder, completamente centralizado em torno do(s) chefe(s).

Mas, como dito... isso deveria ter ficado no passado. Sim, ainda é comum ver profissionais que não sabem administrar o poder de suas posições como supervisores, gerentes e até mesmo diretores. O ser chefe não é mais importante. As pessoas precisam de um líder, alguém que as mostre o que fazer e como, alguém que sirva de exemplo. E não apenas de ordem.

Veja bem, ser um bom líder não quer dizer que você não se importe com o resultado ou não possa cobrar seu time. Claro que pode e deve. A questão é a maneira como essa liderança é exercida, a forma que seus funcionários são cobrados. Ser um bom líder nos dias de hoje é ser o exemplo e não a pessoa que só dá ordens.

Ser líder significa ser descentralizador e dar mais autonomia a seus funcionários. Saber ouvir, escutar os feedbacks, traçar metas realistas e não cobrar do time resultados impossíveis também são comportamentos indispensáveis a um bom líder. Além disso, estar aberto a novas tecnologias e incentivar a criatividade de seus funcionários para o desenvolvimento coletivo são pontos importantes para promover a inovação dentro da própria empresa. Em suma, podemos diferenciar um líder de um chefe pelo uso de pronomes. Um líder usa NÓS, enquanto o chefe, EU.


Assim, se você identificou que o modo como gere a seu negócio ou equipe se assemelha mais ao perfil do chefe, tenha em mente que antes de qualquer mudança que queria implementar em sua organização ou em seu time é preciso que você mude seu pensamento e suas atitudes. É preciso repensar a forma como você exerce seu papel de liderança e como você pode se tornar um líder. Para isso, é necessário percorrer a jornada do líder e sair do singular EU e ir para o plural, NÓS. Para que uma consultoria dê certo e realmente possa gerar mudanças é preciso que as lideranças da empresa abracem o passo a passo que à elas é dado e, sejam, de fato, a mudança que querem dentro da empresa.

No dias de hoje, as empresas precisam de pessoas que saibam exercer suas lideranças. Afinal de contas, não é segredo afirmar que estamos em um era completamente disruptiva e o líder, ou melhor, o chefe que não estiver incentivando sua equipe a buscar mudanças e inovações, provavelmente irá ver a sua presença no mercado diminuída por outra empresa. Essa, no caso, com lideranças que, antes de tudo, mudam, inovam, buscam a todo momento o conhecimento, analisam as tendências e se reinventam.



RAFAEL SANTORO

Empreendedor, MBA em Gestão, Empreendedorismo e Marketing pela PUCRS, formado em administração pela UNILASALLE-RJ.

24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo